Ítrio (Y)

Ítrio
O ítrio é um elemento químico do grupo 3 (metais de transição) que pertence ao quinto período da tabela periódica.

Assim como o escândio, o ítrio (Y) é um elemento que, às vezes, é agrupado como um dos 14 lantanídeos (denominados coletivamente de “terras raras”). Essa denominação é incorreta, pois o ítrio é um elemento do grupo d e os lantanídeos são elementos do bloco f. Além disso, o ítrio não é tão raro. As propriedades do ítrio se assemelham as variações observadas do grupo 1 (metais alcalinos) e 2 (metais alcalino-terrosos). Há pouco uso, em indústrias importantes, desse elemento ou de seus compostos.

Estado de oxidação

O ítrio possui estado de oxidação +III, na forma de íons Y3+. A formação do íon Y3+ requer a remoção de dois elétrons s e de um elétron d. Logo, esses íons apresentam configuração d0 , tornando impossível a ocorrência de transição d-d. Conseqüentemente, o íon e seus compostos são incolores.

Tamanho

O raio covalente e iônico do ítrio é moderado, ele pertence à segunda série e é quase idêntico ao tamanho do elemento da terceira série, por causa da contração lantanídica. Contudo, esse fenômeno só acorre somente após o La.
Ítrio

Propriedades químicas

O ítrio tem potencial padrão de eletrodo moderadamente elevado. É bastante reativo, e a reatividade cresce com o aumento do tamanho. Ele perde o brilho quando exposto ao ar e queima na presença de oxigênio, formando Y2O3. Porém quando exposto ao ar, uma camada protetora de óxido é formada sobre a superfície do Y, tornando-o não reativo.

2Y + O2→ 2Y2O3

O ítrio reage lentamente com água fria, e mais rapidamente com água quente, liberando hidrogênio e formando óxido básico ou o hidróxido correspondente.

2Y + 6H2O → 2Y(OH)3 + 3H2
Y(OH)3 → Y(OH) + H2O
     óxido básico

O caráter básico dos óxidos e hidróxidos aumenta quando se desce pelo grupo. Os óxidos e hidróxidos formam sais quando reagem com ácidos.O Y(OH)3 reage com dióxido de carbono, CO2.

Y(OH)3 + CO2 → Y2(CO3)3 +3H2O

Como os óxidos (e hidróxidos) são anfóteros ou bases fracas, seus oxossais podem se decompor a óxidos por aquecimento.Esse comportamento é análogo ao observado nos elementos do Grupo 2, mas a decomposição é mais fácil, isto é, ocorre em temperaturas menores.

2Y(OH)3 →Y2O3 + 3H2O
Y2(CO3)3 → Y2O3 + 3CO2
2Y2(NO3)3→ Y2O3 + 6NO2 + 1/2O2
Y2(SO4)3→ Y2O3 + 3SO2 + 1/2O2

O ítrio reage com os halogênios, formando trihaletos, YX3. Eles lembram os haletos de Ca. Os floretos são insolúveis (como o CaF2), e os demais haletos são deliqüescentes e muito solúveis (como CaCl2). Se os cloretos forem preparados em solução, eles critalizam na forma de sais hidratados, mas o aquecimento dos mesmos não leva aos haletos anidros. Com o aquecimento, o YCl3.(H2O)7 se decompõe ao óxido, ao passo que os demais formam oxo-haletos.

YCl3.(H2O)7 → YOCl + 2HCl + 6H2O

O ítrio reage com hidrogênio mediante aquecimento, com formação de compostos altamente condutores de fórmula YH2. Esses compostos não contêm o íon Y2+, mas provavelmente são constituídos por Y3+ 2H-, e um elétron ocupa a banda de condução. O Y pode absorver mais H2. Mas, nesse caso perde seu caráter condutor, formando compostos não exatamente estequiométricos, mas que se aproximam da composição MH3. A composição exata depende da temperatura e da pressão de hidrogênio. Esses hidretos são iônicos, ou seja, contêm o íon hidreto, H-, e reagem com água liberando hidrogênio.